Pesquisar este blog

Carregando...

22 de set de 2016

Dor nas costas? Mexa-se para melhorar!

Antes de seguir nesse texto lá vai a primeira e importantíssima sugestão: Se você sente dores nas coluna que incomodam no seu cotidiano, investigue! Vá ao médico, faça os exames necessários, descubra as origens dessas dores para fazer o tratamento mais adequado para resolver ou controlar o problema. E então, peça o aval do seu médico para realizar as atividades físicas. Atente que alguns médicos por excesso de cautela ou desinformação sobre a capacidade do profissional de educação física algumas vezes optam por não recomendar exercícios físicos para alguns casos, nessa situação, converse com seu professor e avaliem o caso, o personal trainer pode inclusive dialogar com seu médico e descobrir a causa da "proibição'.
As dores nas costas podem ter diversas origens, as mais comuns ocorrem por fragilidade e/ou encurtamento da musculatura dorsal, vícios posturais, obesidade, abdome enfraquecido. Ainda, no trabalho, onde os esforços repetitivos, carregamento de pesos, trabalho por longos períodos sentado ou em pé também trazem danos a saúde da coluna vertebral. Tais desequilíbrios e desvios posturais podem trazer problemas mais sérios e de tratamento mais complexo como hérnias.
A atividade física bem orientada por profissionais qualificados podem trazer bastantes benefícios e em muitos casos livrá-lo da dor nas costas, justamente por tratar da causa desses incômodos. As modalidades podem ser as mais variadas e com objetivos distintos como o RPG e Pilates, cujo foco na respiração, trabalho abdominal e condicionamento postural permitem um fortalecimento e correção da musculatura dorsal e abdominal a ponto de evitar ou diminuir significativamente as dores. 
O treinamento funcional, também tem um foco importante para a musculatura CORE (que compreende abdome, pelve e dorsais), uma vez que os trabalhos voltados para sanar as assimetrias, ativar a musculatura profunda, muitas vezes pouco utilizada e encurtada, com exercícios proprioceptivos, trazem excelentes resultados nesse âmbito.
Outra modalidade de grande importância nesse combate a dor nas costas sem dúvida é a musculação. E aqui é uma daquelas onde alguns médicos usam de excesso de cautela. Pois é necessário um cuidado maior com relação a execução dos movimentos, controle de cargas, periodização frequência de treinos entre outros fatores. E se o paciente não dispõe desse acompanhamento especializado os riscos podem ser maiores que as vantagens. mas é inegável que um bom trabalho de força, e hipertrofia, aliado ao controle do peso evitam, controlam e até curam as dores na coluna.


Por fim, os alongamentos são sempre bem vindos, sessões de massagem e meditação (como técnicas de tai chi e Yoga) são capazes de aliviar tensões relaxar a musculatura e descarregar muito do estresse que o cotidiano nos trás e debilitam nossa saúde.
Em grande parte das situações as dores não são incapacitantes, mas apenas um alerta! Um sinal para que esse corpo se movimente. Mas se movimente de maneira correta e orientada, com prazer e sem pressões de trabalho ou estudos. Usar o exercício físico como uma válvula de escape pode ser um santo remédio.

17 de set de 2016

Musculação: Nós temos provas E convicção

Enquanto se discute por aí se os dados apresentados por profissionais são verdadeiros ou não, se há provas ou não, se tal treino funciona ou não. Vamos falar aqui de algo que realmente funciona baseados em provas E convicção: MUSCULAÇÃO. Olha de quantos benefícios os praticantes de treinamento de força podem usufruir:


EMAGRECIMENTO, CONTROLE DE DIABETES E PRESSÃO ARTERIAL (clique na PROVA):
O treinamento de força bem orientado, aliado a dieta balanceada e adoção de bons hábitos cotidiano pode levar a redução do peso corporal, aumento da sensibilidade à insulina, aumento da tolerância à glicose, diminuição dos níveis pressóricos de repouso e melhoria do perfil lipídico, importantes fatores de risco para Síndrome Metabólica.

MELHORA DA AUTO-ESTIMA, CONTROLE HORMONAL (clique na PROVA):
A musculação eleva a produção de hormônios como GH e Testosterona, diretamente ligados ao crescimento muscular, proporcionando uma melhora na auto-imagem, há ainda o incremento na produção hormonal relacionada ao bem estar e sensação de prazer. Além do controle dos hormônios antagônicos relacionados ao estresse, ansiedade e agressividade.

COMBATE A ARTRITE, ARTROSE e OSTEOPOROSE (clique nas PROVA S):
A densidade mineral óssea, que tente a reduzir com o avançar da idade, tornando os ossos mais frágeis, pode ser incrementada com o treinamento de força, ou ter sua redução controlada. Isso evita fraturas e quedas, e suas graves consequências, possibilitando mais qualidade de vida mesmo em idades avançadas.

POR UM CORAÇÃO MAIS FORTE (clique na PROVA):
Hoje a musculação já é indicada para reabilitação cardíaca, desde que bem monitorada por profissional de educação física especializado e de preferência com suporte multidisciplinar. Os efeitos do treino de força no sistema cardiovascular já são investigados com resultados bastante positivos, sendo portanto uma modalidade que além de prevenir possíveis patologias desse sistema, pode auxiliar no tratamento de algumas dessas doenças.

COLUNA SAUDÁVEL (clique na PROVA):
Dor lombar, hérnia de disco, desvios posturais e outras disfunções da coluna vertebral podem ser evitados, tratados e até curados com a prática do treinamento resistido. Muitas vezes a origem dessas dores está em maus hábitos posturais, na fragilidade da musculatura dorsal e abdominal, e na falta de flexibilidade, fatores que podem ser combatidos com um treinamento eficiente de musculação.

Essas são apenas algumas das inúmeras vantagens de ter o treinamento de força presente sempre em sua rotina, há muitas outras sendo estudadas (como tratamento para incontinência urinária, alívio de sintomas da TPM, auxílio no tratamento de CÂNCER e AIDS, etc). Abaixo colocamos outros links que você pode observar e formar as suas CONVICÇÕES!
Muitas pessoas evitam a musculação por achar chato, monótono, ou por medo de ficarem extremamente musculosos, ou ainda, por achar que os efeitos positivos demoram demais e apenas aparecem com o uso de suplementos e/ou esteroides. Não seja vítima dessas falácias de senso comum, revistas e blogueiros sem a devida qualificação: Converse com um profissional de educação Física, conte seus objetivos, tire suas dúvidas e certamente ele indicará os melhores caminhos para você seguir, e, possivelmente a musculação estará entre eles...

Leia MAIS:
https://www.researchgate.net/profile/Gislaine_Vagetti/publication/26450638_Motivos_que_levam_idosas_a_frequentarem_as_salas_de_musculacao/links/56042fc908ae5e8e3f2fd227.pdf

http://www.editorarealize.com.br/revistas/cieh/trabalhos/TRABALHO_EV040_MD4_SA7_ID1394_27072015121649.pdf

http://www.hipertrofia.org/forum/topic/168979-a-muscula%C3%A7%C3%A3o-como-fonte-da-juventude/

https://www.researchgate.net/profile/Marcus_Peikriszwili_Tartaruga2/publication/28080071_Strength_training_in_older_a_multidisciplinary_perspective/links/02e7e52f67625038d2000000.pdf

http://revistapilates.com.br/2013/11/27/treinamento-resistido-no-tratamento-do-cancer/

8 de set de 2016

Envelhecer com Saúde

A população de idosos no Brasil cresce a cada ano. Mas estamos envelhecendo com saúde? Nosso país antes considerado um país de jovens, vê sua população idosa crescer acima de média mundial. A OMS já afirma que a população da terceira idade do Brasil chegará a triplicar em 2050. Isso é uma das preocupações em acertas as contas da previdência (deixando de lado, os dados obscuros desse assunto). Pelo mundo temos exemplos de países que são exemplo de qualidade de vida para idosos, como Suíça, Noruega ou Canadá. E o Brasil tem potencial para tratar melhor essa população, ainda estamos devendo muito.

Uma das maneiras mais efetivas de promover um envelhecimento saudável é por meio do exercício físico regular. Pelo qual podemos desenvolver nossas qualidade físicas e retardar as consequências negativas (e naturais) que o avançar da idade nos trás. Observe algumas dessas vantagens:

– Melhoria/manutenção da força muscular e da flexibilidade;
– Manutenção do peso (o idoso tem tendência ao ganho de peso):
– Melhoria da coordenação motora e do equilíbrio, diminuindo consideravelmente o risco de quedas e consequentemente, lesões sérias como de quadril e joelho;
– Melhoria do condicionamento cardíaco e respiratório;
– Controle do diabetes e Hipertensão, reduzindo dosagem e até a dependência de medicamentos;
– Melhoria da autoestima, do bem-estar social, diminuindo o risco de aparecimento da depressão e da ansiedade. Especialmente quando as atividades são promovidas em grupos.

Os praticantes de exercícios na melhor idade são conhecidos por serem fiéis e assíduos, trazem sempre ao ambiente um clima de alegria de viver contagiante. O Conselho fica mesmo para os mais jovens: Envelhecer é inevitável, e irreversível, faça por onde, desde hoje, chegar nessa fase com boa saúde e desfrutar sempre de todos os prazer que a vida nos dá a cada ano.

29 de ago de 2016

Não como e engordo...

Frase muito comum  que os profissionais de educação física e nutricionistas ouvem no seu dia a dia. Quando se vai tratar da dieta de alguém não é raro ouvir: "Mas eu já não como quase nada, por que não emagreço?!", "Eu não tomo café da manhã, como pouco no almoço, quase nada no jantar e ainda continuo ganhando peso", "Só faço 3 refeições leves e não consigo perder peso" e outras tantas variações do mesmo assunto. E é só para pra observar essas afirmações e de cara observamos o mesmo e recorrente deslize: Boicotar refeições. 

O hábito de pular refeições ou fazer restrições muito severas na
alimentação além de ter efeito contrário, trás riscos à saúde
Não é à toa que quase 60% dos brasileiros já estão acima do peso (dados do IBGE), mesmo que as informações e acesso as praticas saudáveis sejam crescentes. É necessário compreender primeiro que esses indesejáveis quilos a mais não aparecem repentinamente, tampouco sumirão num passe de mágica. E é o que a maioria quer: resultados rápidos. Ah! E promessas não faltam nas redes sociais, revistas, jornais e TV. E mesmo quando aparece algum resultado num curto prazo, não demora muito e esse milagre vai ralo abaixo pois não são resultados duradouros (e como é perigoso esse efeito sanfona!)

Por mais que as informações já estejam razoavelmente difundidas, há ainda uma cara de estranhamento das pessoas quando o nutricionista pede que a pessoa que quer emagrecer faça seis refeições por dia. "Quero perder peso e ele me manda comer mais?". Talvez a forma de solicitar isso ao seu paciente não tenha sido a mais adequada, ou fácil de compreender. Mas o fato é que o processo de emagrecimento não é simples, envolve fatores bastante variados e complexos e um desses é o fator psicológico, esse leva o indivíduo a exagerar ou fazer restrições muito severas em seus hábitos, com resultados desastrosos! Restrições muito severas na alimentação trazer sérios riscos à saúde devido à carência de nutrientes essenciais ao nosso organismo.

Nosso corpo é econômico e facilmente adaptável, se você não come, naturalmente seu organismo se vê em risco e vai estocar o pouco que você comer para não passar por apuros novamente. Nossa máquina precisa de energia, e comer faz parte desse processo. Deixar a máquina constantemente trabalhando nos faz gastar essa energia, então aumente a frequência de suas refeições (obviamente você não deve comer muito a cada refeição e será difícil que o faça mesmo) e inclua uma rotina de treinos que te faça aumentar ainda mais esse gasto energético (ganhe músculos, músculos também consomem energia!) e durma bem (também consumimos energia no nosso repouso).

E quanto aos exercícios: bem, esqueça aquelas máquinas milagrosas que transformam barrigas enormes em tanquinhos! Seu professor terá certamente melhores e mais variadas opções, tudo com um planejamento e prazo adequados. A parte boa é que praticamente toda praica de atividade física regular pode te trazer resultados. Seja a musculação, a corrida, o treinamento funcional, um esporte. Só não ache que apenas abdominais resolvem o problema.

A parte mais difícil é certamente fazer disso um hábito. Não queria apenas perder seus 10kg extras e voltar a fazer tudo como antes (de que isso vai adiantar?). Adote os hábitos saudáveis definitivamente, sem exageros ou paranoias. Esteja sempre orientado por profissionais (médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física) e não pelos gurus da mídia. O profissional que te acompanha te conhece e saberá o que funcionará para você.

19 de ago de 2016

Não brigue com a balança!

Você está determinado a perder peso, e não se aguenta de curiosidade ao se pesar sempre que acorda, ou sempre após o treino? Quer uma dica? Contenha a curiosidade e evite frustrações. Veja por quê:
- Evite verificar seu peso todos os dias: você verá uma variação muito pequena na balança, isso pode ser desanimador. E pior: hoje você pode olhar um peso, e amanhã observar um valor ligeiramente maior (ENGORDEEEEIII??? talvez não!). Melhor evitar. Nosso corpo não é um robô! Nós variamos o peso dia a dia, e os motivos são os mais diversos. É bem mais vantajoso que você observe as mudanças duradouras. Segure a curiosidade e observe a cada 15 dias!
- Também é importante que evite observar o peso após um treino! Ahh! você também adora ver quantos quilos aquela aula "queimou"? Esqueça um pouco isso; você pode fazer uma aula extenuante e observar nenhuma variação na balança (e se tiver muito suado, esse suor pode pesar na roupa e na balança rsrsrsrs!), ou até mesmo uma aulinha muito leve e de repente, "mágica!", você parece mais magro no visor da balança!
- Use sempre o mesmo aparelho: eles podem variar de um para o outro, ou mesmo estar descalibrados (especialmente esses de rua por aí!)
- Sempre que for verificar seu peso, faça de preferência em horários semelhantes, assim você minimiza um pouco dessas variações que ocorrem durante o dia (no início do dia, sem a influência dos afazeres diários pode ser a melhor opção);
- O mínimo de roupas possível! Nas avaliações físicas em academias (tanto para balança como algumas outras medidas, o recomendado é sunga ou short para homens e bikini ou top e short para mulheres), esse padrão é importante. Se você tem a balança em casa, por que não fazer nu(a)? Se faz em outro ambiente, tente fazer com as mesmas roupas sempre!
- Sem crises com variações de poucos gramas. Essa neura não vai adiantar e pode ter levar a fazer loucuras. Lembre que o peso, apesar de importante, é apenas uma das referências para avaliar sua composição corporal, há outras medidas bastante úteis como as dobras cutâneas e circunferências, que, em conjunto nos fornecem parâmetros qualificados para guiar seu treino e sua dieta e levar você aos seus objetivos de forma segura saudável e num prazo adequado. Esteja sempre acompanhado(a) por profissionais qualificados!

(Prof. Ícaro Carvalho)

13 de ago de 2016

Experimenta!

Um evento gigante como a Olimpíada, acontecendo na nossa casa, nos dá a oportunidade de vivenciar esportes com os quais temos pouco ou nenhum contato (são 42 modalidades diferentes e suas diversas categorias!). E então descobrimos como podem ser fascinantes: Há atletas altos e baixos, magros e cheiinhos, mais fortes e mais fracos, homens e mulheres, uns muito jovens, outros bastante maduros. A Olimpíada mostra que o esporte é para todos (e ainda tem a paralimpíada logo após)! Basta que a gente se dê a chance de experimentar e, quem sabe, se identificar com alguma dessas práticas e poder desfrutar também de suas vantagens! Vale ressaltar que há ainda uma outra infinidade de esportes que não fazem parte desse evento (em 2020, a Olimpíada contará com Surfe, Skate e karatê). Opções não faltam, só não vale ser sedentário!

29 de jul de 2016

DOR DESVIADA: QUAIS AS CAUSAS E COMO EVITAR (OU CONTER) ESSA FISGADINHA CHATA!

Dor desviada, dor “de viado”, dor de lado, “dor de burro” ,  Dor transitória abdominal lateral... Enfim, para cada lugar um nome diferente, mas a dor e o incômodo... Ah, essa todos identificam muito bem, independente de como se chama.
Mais comum nos indivíduos destreinados, corredores mais entusiasmados e iniciantes, a dor desviada é uma dor aguda e momentânea localizada na parte inferior da caixa torácica e é causada por espasmos musculares do diafragma.
Diafragma: Localizado por baixo das costelas.
Respirar corretamente pode evitar a dor.
O diafragma é um músculo primordial para a manutenção da respiração humana, auxiliado pelos músculos intercostais e outros denominados acessórios.
Não há uma causa precisa para essa dor, porém, há algumas explicações bem plausíveis para o que gera tais espasmos do diafragma. Uma delas é o trabalho exaustivo desse músculo durante uma corrida ou trabalho intenso (daí a relação com indivíduos destreinados e despreparados, uma vez que estes encontrariam desconfortos devido à adaptação a uma rotina de exercícios).
Outra explicação seria devido a um grande fluxo sanguíneo na região das pernas. Tal volume aumentaria a pressão na parte inferior do diafragma enquanto a respiração expande os pulmões e, conseqüentemente, aumentando a pressão sobre a região superior do diafragma, havendo, assim, diminuição no fluxo de sangue (e, obviamente, de oxigênio) para o diafragma.
Outra possível explicação para o famoso incômodo é em relação a ingestão em excesso de comida e líquidos, que também dificultaria o trabalho do diafragma. Estômago cheio, além de dificultar o movimento descendente do diafragma, também reduz o seu fluxo sanguíneo, diminuindo, assim, o oxigênio ofertado.


O que fazer quando a dor desviada surgir durante a atividade?

Para os aventureiros de primeira viagem (destreinados) a dica é “tirar um pouco o pé do acelerador”, diminuir os ritmos do treino é uma boa dica nesses casos, deixa que o corpo se adapte gradativamente às intensidades dos treinos é importante. E calma! Não culpe seu professor por isso! É praticamente impossível saber o nível de tolerância de cada um (individualidade biológica), portanto o mais prudente seria respeitar esses sinais e reduzir a intensidade. Em outros casos uma estratégia interessante é a das respirações prolongadas. Seja qual for a situação das citadas acima inspirações mais longas aumentariam a oferta de oxigênio para o diafragma e também estimulam os músculos que auxiliam na respiração, diminuindo assim o trabalho excessivo do diafragma, e gradativamente as dores vão aliviando.
Inclinar o tronco à frente, e respirar profundamente pode aliviar a dor,
pausar o exercício e descansar é a medida mais efetiva.


O que fazer para evitar?

Antes de tudo, é necessário entender que quanto maior o condicionamento físico maior a tolerância aos eventos citados, lembrando que se seu nível de condicionamento é baixo qualquer estímulo acima ou próximo deste nível lhe deixa sujeito a essas dores. Portanto, fortalecer toda
musculatura do tronco e abdome é uma grande estratégia, assim, tornaria toda a musculatura que auxilia na respiração mais resistente à fadiga. Exercícios respiratórios e alongamentos também são bem vindos, ter um bom ritmo respiratório durante as atividades é bastante importante.
Ter cuidados em relação a alimentação, principalmente, nas refeições próximas aos exercícios físicos e evitas excessos de líquidos durantes as atividades também são dicas que vão ajudar a você não sentir esse desconforto chato.

Prof. Esp. Pablo Carvalho

11 de jul de 2016

Treinando no Condomínio

O que você acha da ideia de cuidar da saúde, fazer exercícios, interagir com vizinhos, estar perto das crianças, sem ter de se deslocar, pegar trânsito, gastar tempo, tudo isso com qualidade, resultados efetivos com o acompanhamento de profissionais capacitados?

Tentador não é?
E se a gente te disser que o WELFARE TRAINER pode proporcionar tudo isso aí na sua casa, com custo bastante acessível?
Essa é a proposta do nosso Projeto Condomínios:
Fornecer a prática monitorada de atividades físicas as mais variadas nos espaços disponíveis dentro dos condomínios, de forma adequada aos mais variados ambientes, os quais muitas vezes estão ociosos:

- Área de lazerExterna;
- Academia interna;
- Quadras esportivas;
- Piscinas
- Salão de Festas;
- Espaços Fitness entre outros.

Com custo rateado entre os participantes, e a comodidade e segurança oferecidas em nossas atividades, com certeza essa ideia vai agradar. Veja mais clicando AQUI. E consulte-nos para obter mais informações. Queremos proporcionar qualidade de vida a todos.

18 de mai de 2016

Dá para treinar a barra fixa em casa

Muitos dos candidatos aos concursos das polícias militares, civis ou federais têm como principal obstáculo no seu caminho rumo à aprovação a barra fixa. Sejam homens ou mulheres, este exercícios chega a causar algum terror nos concorrentes que passam pelo teste de aptidão física. a própria ausência de experiência motora causada pelo sedentarismo ou mesmo por não ser um exercício comumente praticado nas academia é a causa de tanta preocupação.

Sustentar o peso do corpo, sem balancear e realizar de forma ritmada e concentrada os movimentos da flexão na barra fixa exige bastante da musculatura dorsal, braços e abdome. Se enganam aqueles que acreditam que os exercícios de puxada e remada feitos nas máquinas convencionais de musculação seriam suficientes para realizar a barra fixa com perfeição e em pouco tempo, nem sempre é assim. O treinamento exige alguma paciência, variação de métodos e exercícios e claro, muita prática específica na própria barra.


Mas como treinar na barra se nem sempre se tem uma por perto? Eis então que um pequeno instrumento tem auxiliado bastante aqueles que treinam em casa. A barra de porta! 

Algumas parafusadas outras de pressão, este equipamento é facilmente encontrado nas lojas esportivas e permite a realização de uma boa variedade de exercícios auxiliares que vão além do movimento em si exigido nos editais. Permite uma progressão nos movimentos e uma adaptação à sustentação do peso do corpo sem necessariamente ter de ir à praia ou a uma praça procurar por uma barra.

Vale ressaltar a importância de estar acompanhado de um profissional de educação física que oriente na evolução dos treinos com este e outros equipamentos de forma segura e eficaz. E... por falar em segurança, por mais que as marcas garantam segurança desse equipamento de porta, não faz mal ter um cuidado a mais: instale a barra numa superfície adequada, não exagere na altura, ponha colchonetes, almofadas que amorteçam uma possível queda se o aparelho deslizar e, ao fazer a barra em seu movimento tradicional, faça com pernas estendidas, não dobre os joelhos; E evite qualquer tipo de pirueta ou invenções destas que costumamos ver por aí... Bom treino!
Pernas estendidas é exigência dos editais de TAF

Com a barra embaixo, é possível ter um apoio e treinar abdominais
Com a barra à meia-altura você consegue fazer remadas, variar pegadas
e se habituar ao peso de seu corpo sem necessariamente sair do chão.

26 de abr de 2016

Dicas para mudanças alimentares:


Fracione as refeições (coma mais vezes ao dia e em menor volume). Realize pelo menos as três principais refeições (café da manhã, almoço e jantar) e dois lanches;

Consuma 5 porções de frutas e verduras ao dia e varie as cores no prato;

Substitua alimentos refinados (massas, pães, biscoitos...) por opções integrais;

Modere na utilização de gorduras nas preparações;

Não utilize temperos industrializados, prefira os naturais;

Escolha cortes de carnes magras (patinho e alcatra por exemplo), consumindo mais carnes brancas (frango sem pele e peixes);

Tome água!!! Mínimo de 2l ao dia (varia conforme a pessoa);

Evite doces, caso consuma prefira a base de furta, ex: goiabada;

Modere no consumo de sódio (sal de cozinha, condimentos)

Evite refrigerantes, sucos industrializados e bebidas alcoólicas;

Faça refeições equilibrada antes e após o treino;

Consuma arroz e feijão (apresentam aminoácidos essenciais);

As raízes são ótimas opções de carboidratos;

Substitua as opções integrais por desnatadas ou com baixo teor de gorduras de leites e derivados;

Leia os rótulos e escolha alimentos que na lista de ingredientes você conheça os nomes descritos (quanto mais nomes estranhos maior o risco de estar ingerindo aditivos para conservação, corantes...);
Dica de ouro: descasque mais e abra menos embalagens!!!